domingo, 19 de agosto de 2012

Verificação de sinais vitais em pediatria



Verificação de sinais vitais em pediatria. 

IMPORTÂNCIA:
 O funcionamento dos sistemas orgânicos mais importantes para a manutenção da vida é expresso por determinados sinais: temperatura, respiração, pulso, pressão arterial. A mensuração destes sinais vitais e identificação de tendências, diferenças e desvios revelam  ao observador  as alterações físicas e funcionais que estão se processando naqueles sistemas.

Respiração:
Consiste na sucessão rítmica de movimentos de expansão e de retração pulmonar com a finalidade de efetuar as trocas gasosas entre o organismo e o meio ambiente promovendo absorção de O2 e eliminação de CO2.
*Tipo: abdominal, diafragmática ou torácica
 *Ritmo: irregular ou  regular
*Freqüência: normal ou eupineica, bradipneica, taquipneica
 
 No lactente, e sobretudo no recém-nascido prematuro os movimentos respiratórios podem ser irregulares, arrítmicos, intermitentes e ainda com alternância da profundidade. Devido a este fato deve-se  contar os movimentos por  1 minuto para que haja precisão.
 Atenção!
 -         Verificar a respiração durante 1 minuto nos lactentes e pré –escolares, 30 segundo nos escolares.
-         Observar dificuldade respiratória, presença de secreção.
-         Efetuar o registro das condições respiratórias, anotando as condições da criança durante a verificação.

VALORES DA FREQUÊNCIA RESPIRATÓRIA:
IDADE
VALORES
PREMATUROS
50 irp/m
LACTENTES
30-40irp/m
1ANO
25-30irp/m
PRÉ- ESCOLAR
20-25irp/m
10 ANOS
+20irp/m
  
Pulso:
É a expansão e a retração de uma artéria, produzida pela onda de sangue, forçada através da mesma pela contração cardíaca.
*Freqüência: número de batimentos por minuto
 Ritmo:   normal e arrítmico (O intervalo de tempo entre os batimentos em condições    normais é igual, e o ritmo nestas condições é denominado normal ou rítmico. O pulso irregular é chamado arrítmico)
 *Força da batida: cheia e forte ou fraca
*volume (O volume de cada batimento cardíaco é igual em condições normais. Quando se exerce uma pressão moderada sobre a artéria e há certa dificuldade de obliterar a artéria, o pulso é denominado cheio, porém, se o volume é pequeno e a artéria fácil de ser obliterada tem-se o pulso fraco ou fino.)
TERMINOLOGIA
-         normocardia: freqüência normal;
-         bradicardia: freqüência abaixo do normal;
-         taquicardia: freqüência acima do normal
-         taquisfigmia: pulso fino e taquicardico;
-         bradisfigmia: pulso fino e bradicárdio.

FREQUÊNCIA CARDÍACA NORMAL:
IDADE
PULSAÇÃO
MÉDIA NORMAL
RECÉM- NATO
70-170
120
11 MESES
80-160
120
2 ANOS
80-130
110
4 ANOS
80-120
100
6 ANOS
75-115
100
8 ANOS
70-110
90
10 ANOS
70-110
90
ADOLESCENTES
60-110
+70-65

Métodos para verificação do pulso
 Por palpação: artéria femoral, artéria temporal ou artéria pediosa.
 Nas crianças maiores: artéria braquial, artéria radial, artéria femoral, artéria carótida, artéria temporal ou artéria pediosa.

OBS: Ausculta do pulso apical: método utilizado freqüentemente com lactentes, onde normalmente é difícil a verificação de pulso por palpação. O estetoscópio deve ser colocado entre o mamilo esquerdo e o externo, e a freqüência  verificada durante 60 segundos. Observar se o aparelho esta  frio, para que a criança não se assuste estimulando o choro e alternando os dados.

Temperatura:
Indica o calor do organismo e expressa o equilíbrio entre o calor produzido e eliminado.

TEMPERATURA CORPORAL NORMAL
Em média, considera-se a temperatura oral como a normal 37ºC, sendo a temperatura axilar 0,6ºC mais baixa e a temperatura retal 0,6ºC mais alta.
 
TERMINOLOGIA
Hipotermia: temperatura abaixo do valor normal. Caracteriza-se por pele e extremidades frias, cianoses e tremores;
Hipertermia: aumento da temperatura corporal. É uma condição em que se verifica: pele quente e seca, sede, secura na boca, calafrios, dores musculares generalizadas, sensação de fraqueza, taquicardia, taquipnéia, cefaléia, delírios e até convulsões.

TEMPO DE MANUTENÇÃO DO TERMÔMETRO NO PACIENTE
-         oral: 3 minutos
-         axilar: 03 a 05 minutos
-         retal: 3 minutos

OBS: O termômetro de mercúrio deve ser lavado com água e sabão a cada uso, secado e colocado em solução anti-séptica. Cada criança hospitalizada deve possuir o seu próprio termômetro, guardado em recipiente individual. Antes da tomada de temperatura a coluna de mercúrio deve ser baixada até o nível mínimo.


VALORES DA TEMPERATURA CORPORAL:
ORAL
35,80C - 37,20C
RETAL
36,20C - 380C
AXILAR
35,90C - 36,70C

Preparo do paciente:
a) Sempre que possível obter a temperatura com a criança calma, em repouso pelo menos meia hora antes.
b) O local da verificação da temperatura deve estar seco e o termômetro livre de solução desinfetante.
c) Desde que a criança compreenda, explicar o procedimento e fazê-la  conhecer o equipamento.
d) Os locais onde se verifica a temperatura não devem estar expostos à ação do calor ou frio.
e) Nunca deixar o lactente e pré escolar sozinhos ao tomar a temperatura.

OBS: Registrar o local e o método utilizado para verificação da temperatura.    

Locais para verificação da temperatura:
Local
Vantagens
Desvantagens
Axila
Acesso fácil e seguro.
Pouco risco de traumatismo psicológico.
Influenciado facilmente por temperatura
ambiente e fluxo de ar.
Período de tempo grande para obtenção
do resultado exato.
Reto
Não é diretamente influenciado pela
Ingestão de líquidos quentes ou
frios, temperatura ambiente, etc.
Fidedignidade dos resultados.
Menos tempo de verificação que os
outros métodos.
Contra indicado em pacientes com diarréia,
doenças do reto e submetidos a cirurgias retais.
Risco de traumatismo psicológico.
Risco de danos à mucosa retal.
Difícil colocação.
Estimula a evacuação.   
Boca
Fácil acesso.
Fácil colocação.
Leitura em menor tempo que a temperatura.
axilar.
Não pode ser usado em crianças
pequenas pelo risco de morder e quebrar o termômetro.
Contra indicado em afecções ou cirurgias orais.
Sofre interferência de vários fatores, como Ingestão de líquidos quentes e frios, oxigenoterapia, etc. 

Pressão arterial :
É a pressão exercida pelo sangue contra a parede das artérias, quando este é impulsionado pela sístole cardíaca. A pressão sistólica é o ponto mais alto da pressão arterial e acontece no momento da sístole cardíaca. A pressão diastólica é o ponto mais baixo da pressão arterial, acontecendo no momento da diástole cardíaca.

Tipos:
Casual: pode ser verificada a qualquer hora do dia, sem que exija um preparo prévio do paciente.
Basal: é aquela que é verificada com repouso absoluto prévio de no mínimo 12h . O paciente deve estar preparado física e psicologicamente.
 *Material: Esfignomanômetro e Estetoscópio.
          
 ·        Atenção durante a verificação
A pressão arterial deve ser tomada quando a criança estiver descansando e em uma posição confortável. Deve ser tranqüilizada. O processo deve ser antes explicado à criança.
 Se necessário repetir a mensuração: aliviar totalmente a pressão, desinsulflando o aparelho. Aguardar 3 minutos para nova verificação, já que as alterações circulatória locais alteram os resultados.


·        Métodos de verificação da pressão arterial
              Método auscultatório, método palpatório e método ausculto-palpatório.

 ·        Locais para medição da P.A em pediatria
       Artéria braquial, artéria radial, artéria poplítea e artéria tibial posterior.  

MÉDIA DOS VALORES DA PRESSÃO ARTERIAL:
IDADE
MÉDIA VALORES- SÍSTOLE/DIÁSTOLE

0-3 MESES
75/50mmhg
3 MESES-6 MESES
85/65 mmhg
6 MESES-9 MESES
85/65 mmhg
9 MESES-12 MESES
90/70 mmhg
1 ANOS-3 ANOS
90/65 mmhg
3 ANOS-5 ANOS
95/60 mmhg
5 ANOS-7 ANOS
95/60 mmhg
7 ANOS- 9 ANOS
95/60 mmhg
9 ANOS- 11 ANOS
100/60 mmhg
11 ANOS- 13 ANOS
105/65 mmhg
13 ANOS- 14 ANOS
110/70 mmhg


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

SCHMITZ, Maria Edilza e cols. A Enfermagem em Pediatria e Puericultura .  São Paulo: Atheneu,1995.
WONG, Dona L. Enfermagem Pediátrica.  Rio de Janeiro:  Guanabara Koogan, 1999.

Nenhum comentário:

Postar um comentário