quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Estática Fetal

Estática Fetal
É a relação entre o feto, o útero e a bacia. O feto de 50 cm tem que se adaptar ao útero de 30 cm assim, o maior diâmetro do feto passa a ser de 25cm após a flexão generalizada (braços, pernas e pescoço).
(feto em flexão generalizada)

1- Atitude fetal:
É a relação das diversas partes fetais entre si. Graças as articulações do occipício cervical, o  feto assume a atitude flexão generalizada onde: a coluna vertebral fica encurvada, o mento fica próximo a porção anterior do tórax, as pernas ficam fletidas sobre a coxa, a coxa fletida sobre o abdome, os antebraços fletidos sobre os braços na porção anterior do tórax entrecruzando-se. Com isso, o feto passa a ter +/- 25cm de diâmetro, se assemelhando a um ovóide com dois segmentos: cefálico e córmico.
A causa da atitude fetal ocorre por causa da limitação do espaço. A flexão depende da quantidade de líquido amniótico e pode ser influenciada pelo tônus do útero.
- Quanto maior a quantidade de líquido amniótico, menor será a flexão do feto.
            
1.1- Ovóide fetal:

Polo cefálico: 
Refere-se a cabeça do feto. É duro, regular e irredutível. É composto por:
  • SUTURAS:
    • sagital: entre os parietais
    • metópica: entre os frontais
    • coronária: entre os parietais e frontais
    • lambdoides: entre os parietais e o occipital
    • temporal: entre as temporais e parietais
  • FONTANELAS:
    • bregmáticas ou bregma: formada pelos ossos parietais e frontais, possuindo forma losangular.
    • lambdoide ou lambda: formada pelos ossos occipital e parietal, possuindo forma triangular.


                                                       
2- Situação fetal:
É a relação entre o maior eixo fetal e o maior eixo materno, podendo ser:
  • longitudinal: quando os dois eixos se coincidem
  • transverso: quando o maior eixo do feto é perpendicular ao maior eixo materno
  • oblíquo: é uma situação transitória que evoluirá para longitudinal ou transverso.





3- Apresentação:
É a primeira parte fetal que ocupa o estreito superior da pelve materna, enchendo-o em sua totalidade, sendo capaz de transpor o maior diâmetro e no trabalho de parto desenvolve movimentos determinados. As apresentações podem ser:
  • LONGITUDINAL
    • Cefálica: 
      • fletida  
      • defletida
        • { bregma - 1º grau
        • { fronte - 2º grau
        • { face  - 3º grau
    • Pélvica:
      • completa: pernas e coxa fletidas.
      • incompleta: pernas distendidas sobre o abdome.
  • TRANSVERSA
    • córmica: apresenta o ombro do feto.

a) cefálica b) pélvica c)córmica



Apresentação pélvica: a) incompleta b) completa


4- Altura ou Acomodação:
É a relação entre a apresentação e os diversos níveis da pelve. Podendo ser:
  • Sinclitismo: o feto penetra no estreito superior da pelve materna, na mesma distância entre a pube e o sacro.                                    
  • Assinclitismo: a sutura sagital do feto inclina-se mais para um lado do que para outro, podendo ser denominado: 
    • Anterior (Obliquidade de Nagele), quando o feto penetra primeiro no estreito superior da pelve materna, inclinando-se mais para o sacro. Com isso, o parietal anterior é o primeiro a penetrar na pelve.
    • Posterior (Obliquidade de Litzmann), quando o feto penetra no estreito superior da pelve materna, inclinando a sutura sagital mais para a pube. Com isso o parietal posterior entra primeiro na pelve. 


                                         

GRAUS EVOLUTIVOS RELACIONADOS A ALTURA DA APRESENTAÇÃO:
  • Alta e móvel: a apresentação está afastada da bacia (não ocupa a área do estreito superior).
  • Ajustada: passa a ocupar a área do estreito superior.
  • Fixa: o feto se fixa e não há mais nenhum tipo de mobilização.
  • Insinuada: o maior diâmetro da apresentação transpõe o estreito superior.
AVALIAÇÃO DA ALTURA DA APRESENTAÇÃO:
  • Esquema de De Lee: toma como referência as espinhas ciáticas. Se estiver acima deste o ponto é considerado negativo (-1 a - 5), se estiver abaixo deste ponto é considerado positivo (+1 a +5).


  • Plano de Hodge: 1º plano = bordo superior da pube; 2º plano = bordo inferior da pube; 3º plano = espinha ciática e 4º plano = ponta do cóccix.



- o 3º plano de Hodge corresponde ao plano "0" (zero) de De Lee pois estão na altura da espinha ciática.

5- Posição:
É a relação entre o dorso (costas) do feto e o lado direito ou esquerdo da pelve materna.
  • Direita: quando o dorso do feto está do lado direito da pelve materna.
  • Esquerda: quando o dorso do feto está do lado esquerdo da pelve materna.
VARIEDADES DA POSIÇÃO:
É a relação entre os diversos pontos de referência fetal e os pontos de referência materno.
  • Pontos de referência materno: 
    • Pube
    • Eminências iliopectíneas direita ou esquerda - esquerda ou direita anterior.
    • Extremidade do diâmetro transverso máximo direito ou esquerdo.
    • Sinastose (junção) sacro ilíaca direita ou esquerda - esquerda ou direita posterior.
  • Pontos de referência fetal:
Variam de acordo com a presentação.
    • Lambda (apresentação cefálica fletida) - símbolo O
    • Bregma (apresentação cefálica defletida bregmática) - apresenta a testa do feto. - símbolo B
    • Glabela (apresentação cefálica defletida de fronte) - apresenta a raiz do nariz. - símbolo  N
    • Mento (apresentação cefálica defletida de face) - apresenta o queixo do feto. - símbolo M
    • Crista Sacrococcígea (apresentação pélvica) - símbolo S
    • Acrômio (apresentação córmica) - apresenta a região do ombro. - símbolo A

6- Linha de orientação:
É a linha fetal que se põe em relação com o diâmetro materno de insinuação, permitindo acompanhar os movimentos da apresentação no trabalho de parto.
Variam de acordo com a apresentação.
    • Sutura sagital (apresentação cefálica fletida) => Lambda
    • Sutura sagital e metópica  (apresentação cefálica defletida bregmática) =>Bregma
    • Linha metópica  (apresentação cefálica defletida de fronte) =>Glabela
    • Linha facial  (apresentação cefálica defletida de face) => Mento
    • Sulco interglúteo  (apresentação pélvica) => Crista sacrococcígea
    • Dorso  (apresentação córmica) => Acrômio 
7- Nomenclatura
Ela nos fornece a apresentação, situação e a posição com a variedade. A 1ª letra corresponde ao local onde se encontra o ponto de referência fetal e as demais letras correspondem aos pontos fixos dos níveis do estreito superior da pelve materna.

X XX
feto  mãe

ex: OEA
situação: longitudinal
apresentação: cefálica fletida
ponto de referência fetal: lambda
ponto de referência materno: eminencia iliopectínea esquerda
linha de orientação: sutura sagital

outras siglas: OEA,  ODA,   ODP,   OEP,  ODT,   OET, BEA,    BDA,   BDP,   BEP,   BDT,    BET
NEA,   NDA,   NDP,   NEP,   NDT,   NET, MEA,   MDA,  MDP,   MEP,   MDT,    MET, SEA, SDA,   SDP,    SEP,    SDT,    SET, AEA,   ADA,   ADP,   AEP, OP,  SP. 


RESUMO:



2 comentários: