quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Estática Fetal

Estática Fetal
É a relação entre o feto, o útero e a bacia. O feto de 50 cm tem que se adaptar ao útero de 30 cm assim, o maior diâmetro do feto passa a ser de 25cm após a flexão generalizada (braços, pernas e pescoço).
(feto em flexão generalizada)

1- Atitude fetal:
É a relação das diversas partes fetais entre si. Graças as articulações do occipício cervical, o  feto assume a atitude flexão generalizada onde: a coluna vertebral fica encurvada, o mento fica próximo a porção anterior do tórax, as pernas ficam fletidas sobre a coxa, a coxa fletida sobre o abdome, os antebraços fletidos sobre os braços na porção anterior do tórax entrecruzando-se. Com isso, o feto passa a ter +/- 25cm de diâmetro, se assemelhando a um ovóide com dois segmentos: cefálico e córmico.
A causa da atitude fetal ocorre por causa da limitação do espaço. A flexão depende da quantidade de líquido amniótico e pode ser influenciada pelo tônus do útero.
- Quanto maior a quantidade de líquido amniótico, menor será a flexão do feto.
            
1.1- Ovóide fetal:

Polo cefálico: 
Refere-se a cabeça do feto. É duro, regular e irredutível. É composto por:
  • SUTURAS:
    • sagital: entre os parietais
    • metópica: entre os frontais
    • coronária: entre os parietais e frontais
    • lambdoides: entre os parietais e o occipital
    • temporal: entre as temporais e parietais
  • FONTANELAS:
    • bregmáticas ou bregma: formada pelos ossos parietais e frontais, possuindo forma losangular.
    • lambdoide ou lambda: formada pelos ossos occipital e parietal, possuindo forma triangular.


                                                       
2- Situação fetal:
É a relação entre o maior eixo fetal e o maior eixo materno, podendo ser:
  • longitudinal: quando os dois eixos se coincidem
  • transverso: quando o maior eixo do feto é perpendicular ao maior eixo materno
  • oblíquo: é uma situação transitória que evoluirá para longitudinal ou transverso.





3- Apresentação:
É a primeira parte fetal que ocupa o estreito superior da pelve materna, enchendo-o em sua totalidade, sendo capaz de transpor o maior diâmetro e no trabalho de parto desenvolve movimentos determinados. As apresentações podem ser:
  • LONGITUDINAL
    • Cefálica: 
      • fletida  
      • defletida
        • { bregma - 1º grau
        • { fronte - 2º grau
        • { face  - 3º grau
    • Pélvica:
      • completa: pernas e coxa fletidas.
      • incompleta: pernas distendidas sobre o abdome.
  • TRANSVERSA
    • córmica: apresenta o ombro do feto.

a) cefálica b) pélvica c)córmica



Apresentação pélvica: a) incompleta b) completa


4- Altura ou Acomodação:
É a relação entre a apresentação e os diversos níveis da pelve. Podendo ser:
  • Sinclitismo: o feto penetra no estreito superior da pelve materna, na mesma distância entre a pube e o sacro.                                    
  • Assinclitismo: a sutura sagital do feto inclina-se mais para um lado do que para outro, podendo ser denominado: 
    • Anterior (Obliquidade de Nagele), quando o feto penetra primeiro no estreito superior da pelve materna, inclinando-se mais para o sacro. Com isso, o parietal anterior é o primeiro a penetrar na pelve.
    • Posterior (Obliquidade de Litzmann), quando o feto penetra no estreito superior da pelve materna, inclinando a sutura sagital mais para a pube. Com isso o parietal posterior entra primeiro na pelve. 


                                         

GRAUS EVOLUTIVOS RELACIONADOS A ALTURA DA APRESENTAÇÃO:
  • Alta e móvel: a apresentação está afastada da bacia (não ocupa a área do estreito superior).
  • Ajustada: passa a ocupar a área do estreito superior.
  • Fixa: o feto se fixa e não há mais nenhum tipo de mobilização.
  • Insinuada: o maior diâmetro da apresentação transpõe o estreito superior.
AVALIAÇÃO DA ALTURA DA APRESENTAÇÃO:
  • Esquema de De Lee: toma como referência as espinhas ciáticas. Se estiver acima deste o ponto é considerado negativo (-1 a - 5), se estiver abaixo deste ponto é considerado positivo (+1 a +5).


  • Plano de Hodge: 1º plano = bordo superior da pube; 2º plano = bordo inferior da pube; 3º plano = espinha ciática e 4º plano = ponta do cóccix.



- o 3º plano de Hodge corresponde ao plano "0" (zero) de De Lee pois estão na altura da espinha ciática.

5- Posição:
É a relação entre o dorso (costas) do feto e o lado direito ou esquerdo da pelve materna.
  • Direita: quando o dorso do feto está do lado direito da pelve materna.
  • Esquerda: quando o dorso do feto está do lado esquerdo da pelve materna.
VARIEDADES DA POSIÇÃO:
É a relação entre os diversos pontos de referência fetal e os pontos de referência materno.
  • Pontos de referência materno: 
    • Pube
    • Eminências iliopectíneas direita ou esquerda - esquerda ou direita anterior.
    • Extremidade do diâmetro transverso máximo direito ou esquerdo.
    • Sinastose (junção) sacro ilíaca direita ou esquerda - esquerda ou direita posterior.
  • Pontos de referência fetal:
Variam de acordo com a presentação.
    • Lambda (apresentação cefálica fletida) - símbolo O
    • Bregma (apresentação cefálica defletida bregmática) - apresenta a testa do feto. - símbolo B
    • Glabela (apresentação cefálica defletida de fronte) - apresenta a raiz do nariz. - símbolo  N
    • Mento (apresentação cefálica defletida de face) - apresenta o queixo do feto. - símbolo M
    • Crista Sacrococcígea (apresentação pélvica) - símbolo S
    • Acrômio (apresentação córmica) - apresenta a região do ombro. - símbolo A

6- Linha de orientação:
É a linha fetal que se põe em relação com o diâmetro materno de insinuação, permitindo acompanhar os movimentos da apresentação no trabalho de parto.
Variam de acordo com a apresentação.
    • Sutura sagital (apresentação cefálica fletida) => Lambda
    • Sutura sagital e metópica  (apresentação cefálica defletida bregmática) =>Bregma
    • Linha metópica  (apresentação cefálica defletida de fronte) =>Glabela
    • Linha facial  (apresentação cefálica defletida de face) => Mento
    • Sulco interglúteo  (apresentação pélvica) => Crista sacrococcígea
    • Dorso  (apresentação córmica) => Acrômio 
7- Nomenclatura
Ela nos fornece a apresentação, situação e a posição com a variedade. A 1ª letra corresponde ao local onde se encontra o ponto de referência fetal e as demais letras correspondem aos pontos fixos dos níveis do estreito superior da pelve materna.

X XX
feto  mãe

ex: OEA
situação: longitudinal
apresentação: cefálica fletida
ponto de referência fetal: lambda
ponto de referência materno: eminencia iliopectínea esquerda
linha de orientação: sutura sagital

outras siglas: OEA,  ODA,   ODP,   OEP,  ODT,   OET, BEA,    BDA,   BDP,   BEP,   BDT,    BET
NEA,   NDA,   NDP,   NEP,   NDT,   NET, MEA,   MDA,  MDP,   MEP,   MDT,    MET, SEA, SDA,   SDP,    SEP,    SDT,    SET, AEA,   ADA,   ADP,   AEP, OP,  SP. 


RESUMO:



9 comentários:

  1. Vai ser minha salvação amanhã na prova de saúde da mulher...

    ResponderExcluir
  2. Vai ajudar bastante na prova de amanhã. Muito bom o resumo. Agradecida.

    ResponderExcluir
  3. Vai ajudar bastante na prova de amanhã. Muito bom o resumo. Agradecida.

    ResponderExcluir
  4. Otimoooo... Só acrescentar sobre a atitude ovoide córmico, fetal e cefálica

    ResponderExcluir
  5. Otimoooo... Só acrescentar sobre a atitude ovoide córmico, fetal e cefálica

    ResponderExcluir
  6. Nossa isso ta me ajudando muito nos estudos, explicando de maneiras simples da pra entender muito bem. obrigado

    ResponderExcluir
  7. Nossa isso ta me ajudando muito nos estudos, explicando de maneiras simples da pra entender muito bem. obrigado

    ResponderExcluir